terça-feira, 26 de outubro de 2010

Novas Tecnologias, Velhas Reflexões





Baseado nos processos de hibridização dos meios de comunicação atuais
e projetando as possíveis evoluções desses meios na sociedade, podemos dizer que a demanda pela proliferação desses novos meios e a reflexão sobre o conteúdo e linguagens que passam a ser estabelecidas na sociedade, andam em ritmos que chegam a ser quase inversos.

Após a chegada da Internet estabeleceu-se um grande divisor de águas
na relação dos meios de comunicação com o homem.
Na medida em que se inicia um aumento da interatividade e acessibilidade cada vez maiores destes meios,
o mercado de publicidade e propaganda passou também a ter recursos
cada vez mais dinâmicos, eficientes e horizontais de pesquisa em comunicação.

Os meios portáteis de comunicação,
como o rádio havia sido no final da década de 70,
e o celular está sendo agora,
tornaram híbridos os quatros principais meios de comunicação
e de conhecimento desenvolvidos pela raça humana.

Hoje é possível ter acesso de um celular à literatura com os E-books,
o jornal (cada vez mais empresas disponibilizam parte do conteúdo na internet),
o rádio (agora com o MP3, o consumidor cria sua própria playlist)
e a Televisão (que também está passando pelo processo de hibridização, com a nova tecnologia digital).

Porém de acordo com SABATINNI (2000), a TV interativa não é exatamente um conceito novo, pois em muitos países europeus já existia o videotexto e o teletexto, embora o videotexto não seja totalmente interativo.

É preciso refletir também sobre os níveis de interatividade que os novos meios permitem, pois a própria Web-TV poderia ser questionada nesse sentido, ela não pode ser totalmente interativa, pois embora agregue TV e internet, os mesmos não são usados simultaneamente, ou se assiste TV ou se navega na internet. A grande referência de mudança nos novos níveis de interatividade é a de qualquer pessoa ser um comunicador. A internet trouxe essa possibilidade, porém os grandes meios de comunicação já estão se adaptando à essa nova realidade, e mesmo que de tempos em tempos descobrimos blogs e outros sites que eram independentes, logo eles vão se filiando a grandes empresas como se fossem camelôs que são bons comunicadores e conseguem atingir um bom público por esse diferencial.

Vivemos numa era de grandes transformações, principalmente quando o assunto é comunicação e novas tecnologias, porém ainda é preciso muita filtragem do que é ou não é, realmente uma novidade objetiva e prática.

Johnny Nogueira dos Santos

Referências

http://bocc.ubi.pt/pag/santos-adriana-tv-digital-interactiva-no-brasil.html

http://oglobo.globo.com/tecnologia/mat/2007/10/22/315147497.asp

http://www.tverealidade.facom.ufba.br/coloquio%20textos/Sivaldo%20Pereira.pdf

http://br.monografias.com/trabalhos/tv-digital-interactiva-brasil-adequacoes/tv-digital-interactiva-brasil-adequacoes.shtml

Nenhum comentário: