segunda-feira, 23 de maio de 2016

A tecnologia vem mudando com a demanda dos tempos. Ela se adapta para atender as necessidades de um público que cada vez quer o seu conteúdo mais rápido. Filmes chegam mais rápido em mídias físicas; filmes, séries e músicas têm de ser disponibilizadas com mais eficiência para o público.
Streaming é a nova moda do momento .É uma tecnologia que envia informações multimídia, através da trasferência de dados, utilizando redes de computadores, especialmente a internet, e foi criada para tornar as conexões mais rápidas. Exisitem várias plataformas desse sistema, a mais famosa é o YouTube, criado em 2005, o site permite que os usuários assistirem, enviarem, comentarem e compartilharem vídeos de todos os tipos e de todas as finalidades. Um exemplo que tem estado em constante ascensão é o Netflix, a empresa começou como uma rede de locadoras que enviava por correrio para a residência de seus usuários, se tornando rede de streaming em 2007 e estourou em 2013 quando começou a produzir conteúdos originais. Já o Spotify, que tem um grande acervo de músicas, permite que os usuários ouçam em qualquer dispositivo com acesso a internet uma infinidade de músicas, álbums e playlists.
E isso causou um impacto muito grande na indústria de entretenimento. Com a Netflix e outros sites de streaming de filmes e séries que vem surgindo, como o Hulu e a YahooScreen, canais de TV se veem compelidos a criar suas próprias mídias de streaming: assim nasce o HBO GO,  Fox Play, Showtime Anytime, Sling TV e o número só vem crescendo. Já no que diz a respeito a filmes, existe a opção on demand, que permite que títulos sejam alugados sem sair de casa.
Porém muitos se mantém céticos a respeito. Especialmente no Brasil, distribuidoras tardam em ceder os direitos para seus materiais sejam divulgados em redes de streaming. A indústria musical também dificulta muita, muitos músicos são contra domínios como o Spotify e o Pandora por vários motivos, dentre eles falta de royalties pagos aos artistas e reproduções não antes consentidas.
Ainda vai demorar muito para que todos se entreguem ao streaming, existe preocupações no que diz respeito ao alcance e baixo custo de tal rede, ano passado a renda de músical digital superou a venda dediscos no Brasil. Nesse conflito entre redes de streaming e distribuidoras, só existe uma pessoa que sai ganhando sempre: o consumidor.





Bibliografia

Nenhum comentário: